Socioambiental

No mundo, a estimativa é de que 1 bilhão de pessoas não tem acesso à energia e, segundo a ONU, nos últimos anos este cenário tem melhorado com a proliferação de pequenos sistemas fotovoltaicos, incentivada por políticas de desenvolvimento sustentável no mundo todo, em especial na Ásia e África.
As Nações Unidas definiram em 2000 os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), um cronograma com metas para o combate mundial à pobreza, com promoção da prosperidade e o bem-estar e proteção ao meio ambiente. Em 2015, após resultados expressivos da iniciativa ODM, foram definidos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que estabelecem uma nova agenda ambiciosa de metas.
No Brasil, parte da população enfrenta transtornos apenas quando ocorrem falhas no sistema de distribuição de energia e isso já é suficiente para afetar o bem-estar dos usuários ou a condição financeira de empreendimentos que precisam do insumo para produzir. Por outro lado, mais de 1 milhão de famílias se encontram limitadas por não terem energia disponível para fins básicos como iluminação e preservação de alimentos.

A tecnologia fotovoltaica tem sido aplicada cada vez mais em ações
para o alcance de diferentes ODS, devido sua transversalidade.
Fundos internacionais estão acentuando os montantes de
financiamento para energias renováveis e instituições brasileiras têm aderido às iniciativas, mostrando compromisso com o tema.
A H2D Energia acredita que a tecnologia pode trazer qualidade de vida, fortalecimento econômico, social e cultural de populações

Projeto Vagalume

O povo Huni Kuin, beneficiário do projeto Vagalume, é originário de um tronco linguístico de 5 mil anos e atualmente é formado por cerca de 7.500 pessoas que habitam a região fronteiriça entre Brasil e Peru. Estima-se que a parcela situada no território brasileiro, no estado do Acre, chega a 4.500 pessoas divididas em 6 Terras Indígenas, formando a maior população indígena do estado. Sua resistência desde o período da exploração da borracha no Acre, quando quase foi extinto, até os tempos de hoje, preservou o idioma, a cultura e os conhecimentos ancestrais que caracterizam o peculiar modo de vida na floresta Amazônica.

O objetivo do Projeto Vagalume é melhorar a qualidade de vida do povo Huni Kuin estabelecido em território brasileiro, em continuidade ao seu processo de desenvolvimento sustentável, introduzindo o conceito de simplicidade da energia fotovoltaica, sem deixar resíduos excessivos de tecnologia para que a cultura e os modos cotidianos não sejam impactados negativamente.
Os desdobramentos do objetivo geral visam entregar energia limpa para todo o povo Huni Kuin do Acre, fazendo a instalação de sistemas fotovoltaicos e capacitando estrategicamente pequenos grupos de moradores que sustentarão a aplicação da tecnologia
nas aldeias.
O Instituto Txai, idealizador do projeto, é coordenado por profissionais multidisciplinares que têm envolvimento histórico com os povos da região, tendo participado, por exemplo, da demarcação de todas as Terras Indígenas povoadas por Huni Kuin atualmente. A
convite do Instituto Txai, a H2D Energia teve o privilégio e importante missão de conduzir as questões técnicas que se referem a energia fotovoltaica durante todo o trabalho.

A primeira etapa do projeto atendeu 68 pessoas da aldeia Altamira, no Município de Jordão/AC, levando energia limpa com foco na sustentabilidade e respeito às diversidades. Dentre os desafios do trabalho, destaca-se a operação logística de pessoas e equipamentos que se deu por transportes terrestres, fluviais e aéreos, devido à dificuldade de acesso ao local.